Life

Tecnologia X Papel

10 Maio, 2016

Ahhhhh a Tecnologia! Essa fantástica coisa que nos acompanha ao longo dos dias tornando tudo mais fácil e acessível. Essa dita ferramenta que se tornou num bem essencial para todos e que faz toda a lógica quando usamos e abusamos dela. Mas será mesmo assim?

De acordo com muitas pessoas do meu dia-a-dia, a tecnologia é uma mais valia, em relação ao típico papel onde nos fartamos de escrever notas, recados, marcações e sei lá mais o quê, poupando, e muito, a natureza que bem precisa de protecção. Confesso que em relação à preservação e protecção da natureza sou toda a favor, mas quando se trata de substituir as queridas folhas de papel onde posso rabiscar à minha vontade, por uma página de texto no computador onde apenas me posso restringir às limitações do mesmo, já não sou assim tanto a favor.

Eu sou daquele género de pessoa, mesmo tendo o blog e odiando a minha letra de tão atrapalhada que é, que gosto imenso de escrever à mão. Nas agendas, nos blocos, nas folhas, até nos recados que deixo à mãe a informar que ficou loiça por lavar. Nada me faz substituir uma carta sentida e sincera por um email automatizado passado a computador. Se fica mais bonito? Se fica mais rápido? Secalhar até fica, mas não me vale o mesmo.

Ainda me recordo das minhas primeiras aulas de programação, onde maior parte da turma fazia os códigos directamente no computador enquanto eu fazia tudo primeiro no papel. Pode não fazer muito sentido programar informática em papel, mas para mim só assim é que a lógica se encontrava presente. Conseguia visualizar todo o programa e saber em segundos o que realmente estava a fazer e o que iria sair dali no final quando era finalmente passado para o PC. Se me atrasava em relação aos meus colegas? Muito pelo contrário. Caso existisse algum erro no código da programação, a mim era muito mais fácil identifica-lo porque não tinha sequer de percorrer código linha a linha no monitor do aparelho, bastava olhar para a minha folha rabiscada e ver o código global.

Como esta história, chegaram a existir muitas mais em que sempre me foi mais lógico utilizar uma folha de papel do que um computador ou tablet para ter o trabalho feito. Até mesmo este texto, foi escrito na minha pausa do trabalho, numa folha de papel e só no fim passado a computador.

Mas pensemos assim: A nossa caligrafia também faz parte da nossa personalidade. Porque raio haveriamos nós de excluir essa parte do nosso ser?

Gostava de saber a vossa opnião sobre este assunto meus amores, por isso comentem, e muito. Não me façam sentir a única pessoa retrógada de Portugal que ainda prefere uma folha de papel a um documento informático.  🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.