Outros

#SELFSTEEM

6 Julho, 2017

b7c59fcf5d2709cd87ee1fa1d02f4ac8

Acho que quando pensei em escrever este post (há coisa de 5 minutos atrás) a minha ideia era transmitir um sentimento de raiva que me ia cá dentro por várias razões e mais algumas que me deixam triste e sem confiança em mim. Qualquer coisa do género: “Ah só serves para fazer o trabalho dos outros”, “Nunca vais conseguir seguir mais além do que és agora”, ou então o típico “Não serves para nada”. Todos estes pensamentos me passam pela cabeça num momento ou outro do meu dia e hoje de manhã, incentivados por algumas situações no local de trabalho e pela vida em geral, o cenário não foi diferente, até porque não é preciso muito para que me vá abaixo.

Vinha para aqui prontinha para criticar tudo e todos, incluindo a mim mesma. Mas por fim parei um bocadinho, no pouco tempo que tenho para despachar tudo aqui por casa antes de fazer meia hora de carro para chegar ao trabalho, para pensar no peso que as acções dos outros têm sobre a minha pessoa. E dei por mim a pensar porque raio assim o é. Tenho uma família que me apoia em tudo aquilo que preciso, um grupo de amigos pequeno mas daqueles mesmo bons (dos falsos também já tive a minha dose), um tecto sobre a cabeça e comida na mesa. Dinheiro não tenho muito, mas tenho o suficiente e por enquanto isso chega. Tenho o meu carro e as minhas coisas. Tenho momentos felizes e as minha memórias para recordar e outras ainda para criar. Tenho tanto e no entanto passo metade da minha vida a pensar sempre no que poderia ainda ser melhor, sendo que a outra metade passo a dormir.

Penso que parte da mudança que quero sentir, passa por mudar também por dentro e aprender a gostar mais de mim, independentemente dos comentários negativos, das palavras maldosas ou dos pensamentos não tão felizes sobre mim. Parte da mudança passa por batalhar para que consiga ficar mais forte psicologicamente de modo a que coisas tão simples não me afectem tanto.  Porque no fundo, eu sou aquilo que sou e quem tem de gostar sou eu. Sei o que valho, sei do que sou capaz, apenas tenho de me concentrar nisso e esquecer todas as vozes de fundo que não chegam aos céus.

Esta coisa da auto-estima tem muito que se lhe diga, e por mais que digam que hoje em dia a sociedade está com uma mente mais aberta e mais compreensiva a tudo e a todos, a verdade é que não acontece bem assim. E as criticas e os julgamentos são cada vez mais constantes e cada vez magoam mais.

Esta coisa da auto-estima é uma batalha. Vamos ganhar a guerra?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.