Life

Porque a felicidade demora a fabricar.

20 Março, 2016

Era suposto ser o dia Mundial da Felicidade. Deveria ser um dia feliz, um dia em que as pessoas aproveitam para descansar, uma vez que é Domingo, e para gastar os minutos deste dia com a familia. Deveria ser um dia Feliz.
Para muitos pode até ser, mas eu dei por mim parada, durante uma boa meia hora dentro do carro, em frente á minha antiga escola sem dizer uma única palavra. Sem sorrir, sem comentar, sem sequer lançar um suspiro mais forte. Apenas a olhar e a pensar como naquela época era tudo tão mais fácil. A relembrar-me de tudo o que fiz por aqueles corredores e salas de aula.
Em comparação com a vida real, os algoritmos que fazia em várias linguagens de programação pareciam ser muito mais fáceis que tudo isto . Era tudo mais rechado de lógica funcional, em lugar das funções psicológicas e emocionais das situações do dia-a-dia.
Perguntei-me a mim mesma, se não seria mais fácil retroceder no tempo e deixar-me ficar naquela altura em que tudo se resolvia com um IF, um THEN ou um OR.
Hoje, no dia Mundial da Felicidade eu fui a pacóvia que voltou á escola com esperança de encontrar alguma coisa, alguma respostazinha que fosse, uma solução pequenina. Fui exactamente aquilo que estou sempre a dizer que não gosto, que é alguém agarrado a um passado que não existe mais.
Obviamente não houve nada que me desse uma solução para os problemas, mas não me arrependo de ter estado aqueles minutos todos a recordar tempos felizes, tempos de inocencia e diversão.
E é isto o dia Mundial da Felicidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.