Life

Pokémon GO – Vamos lá falar sobre isto.

19 Julho, 2016

Vamos lá falar do assunto que está a correr o Mundo e sobre o qual toda a gente tem opiniões diferentes. Pokémon Go foi o jogo lançado há coisa de duas semanas e já toda a gente, ou pelo menos quase toda a gente joga, já experimentou ou pelo menos opinou sobre ele. Eis o que eu tenho a dizer enquanto pessoa que instalou o jogo há uma semana e apenas apanhou 2 Pokémons.

Temos visto por aí muitos comentários sobre a maneira como o jogo alienou as pessoas tornando-as tal e qual bonecos controlados a fazer tudo e mais alguma coisa para apanhar o dito bicho virtual. Ora bem, concordo que com muita gente a coisa chega a extremos e a obsessão é quase doentia, mas não posso culpar o jogo nesse sentido. Penso que isso tem mesmo a ver com as pessoas em si, até porque eu jogo e não sinto necessidade de me despedir do meu trabalho para apanhar Pokémons a tempo inteiro. Acho que quando jogado de modo q.b., o jogo pode até tornar-se numa pequena brincadeira dos tempos livres, obrigando o individuo a pelo menos andar um pouco, explorando coisas novas e criando uma rotina de um mini exercício físico, o que de certa maneira se torna apelativo a muitas daquelas pessoas que passavam horas ao computador a jogar todo o tipo de jogos e que basicamente não fazia mais nada. A meu ver, o jogo até chama a população até à rua de uma maneira ou de outra.

Vemos muitas vezes pessoas a criticar o facto de miúdos e graúdos andarem pelas portas a perguntar se podem apanhar o Pokémon que está no quintal do dono da casa, e as pessoas criticam e resmungam e fazem pouco da situação, mas eu ainda sou do tempo em que tinha de atravessar quintais inteiros para concretizar tarefas das tão intensas competições de peddy papper e aí já não havia problema. Qual é a diferença agora meus senhores? Só porque tento fazer uma brincadeira, agora com o telemóvel na mão em vez de um pedaço de papel, já passa a ser uma ofensa para a sociedade. Vamos lá a ser sinceros, é assim tão mau, a população ter um passatempo em comum que cria uma competição amigável e que ainda cria rotinas de passeio diárias? Sim, pode ser infantil, pode ser viciante, pode ser isto e aquilo, mas na realidade existem tantas coisas neste Mundo que o fazem da mesma maneira e não são criticadas de tal maneira como o raio do jogo. Teorias da conspiração já falam que o Pokémon Go é uma criação para distrair as pessoas da realidade dando assim maior acesso a ataques terroristas, assaltos e sei lá mais o quê, e vamos lá a por os pontos no sitio: Isso não acontece já connosco em estado de alerta? Porque raio seria preciso darem-se ao trabalho de criar um jogo tão dispendioso e trabalhoso como este deve ter sido para esse mesmo efeito. Minha gente, antes de criticarem o que não conhecem, experimentem apenas e depois então podem dar o vosso veredicto à vontade. Até lá escusam de dizer que tudo isto é uma estupidez e que quem joga não passa de uma mente fraca (como já cheguei a ler), e que vão dar porrada aos pequenos que andam na caça de Pokémons que estão no vosso quintal (como também já li no facebook) porque isto tudo não passa de uma brincadeira, um jogo, uma distracção para os tempos livres. Atenção que com tudo isto dito, não estou para aqui armada em defensora do jogo, mas sim em modo de quem não concorda com as criticas que toda a gente começou a fazer a quem gosta de o jogar. Somos um Mundo livre e quem joga, joga, quem não quer jogar não joga, mas também não critica. A opinião de qualquer pessoa é tão válida como a de outra e nada vos impede de achar tudo isto uma situação estapafúrdia, mas nada vos dá o direito de dizer que as pessoas são ridículas por jogar. Até porque por esse sentido, são ridículas as pessoas que como eu têm uma colecção estapafúrdio de sapatos, são ridículas as pessoas que tem muitos carros, são ridículas as pessoas que fumam, são ridículas as pessoas que bebem, são ridículas as pessoas que não trabalham, podem até ser, mas isso é problema de cada uma delas e ponto final. E basicamente é isto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.