Life

Páginas em branco escritas apenas com absoluto terror.

20 Abril, 2017

fotografo_sirio_salva_menino_tafixe2

Faltam-me as palavras para tornar claro e perceptível aquilo que quero transmitir, aquilo que mexe cá dentro quando oiço o relato de mais um acto de terror propagado por mentes cuja maldade atinge um Mundo inteiro. Não com o detonar de uma bomba, mas pela mensagem que nos chega, pelo medo que nos é incutido, pela falta de esperança num futuro calmo e em paz. A nossa história, repleta de erros que destruíram nações, não nos serve de ensinamento para resolver conflitos de maneiras mais pacificas e amenas. Toda a nossa história está repleta de horror, de acontecimentos no tempo que temos vergonha de referir, mas ainda assim as bombas continuam a ser detonadas, os tiros continuam a ser disparados, vidas inocentes continuam a ser roubadas. Estamos mais uma vez a magoar nações, a aniquilar o Mundo, e por razões que nem sequer se tornam claras, apenas porque sim. A ganancia, a raiva e o poder estão aliados numa união terrivelmente arrasadora, e por mais bondade que tente prevalecer, são esforços em vão.

São páginas em branco da nossa história, dos nossos dias que estamos a escrever apenas com terror, e vai ser mais um capitulo de constrangimento, mais uma guerra transcrita nos livros da escola ao qual nós vamos dizer: “Os humanos são doentios”. E somos, porque ordenamos, porque fazemos, porque deixamos e porque apenas observamos e principalmente porque nomeamos. Somos nós, que, com a maior das inocências colocamos os senhores do poder nos lugar que lhes permite governar, controlar ou destruir. O Mundo que observo hoje nos noticiários não é nem metade daquele que me viu crescer durante a minha infância. Armas são combatidas com armas, ofensas com ofensas, violência com mais violência. E sem expectativas de poder ser de outra maneira. E ainda criticam e julgam a geração de agora que retira as próprias vidas devido a jogos e apostas, mas como poderia ser de outra maneira? Quando se vive e cresce rodeado de mentes retorcidas e alienadas, o resultado não poderia ser outro, apenas uma geração sem esperança, sem sonhos, sem objectivos. Porque na realidade, o propósito de ter alguns, pode ser alterado de um segundo para o outro com ataques planeados para semear medo. O mundo está a falhar e nós estamos a falhar com eles. Mas sim, a culpa é nossa. E apenas nossa. Principalmente por tudo o que não fazemos. Porque o que não fazemos ainda é imenso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.