Fashion&Style

Óscares 2016 – Os assim e os “onde é que estavam com a cabeça?”.

29 Fevereiro, 2016

Nestas coisas, os tiros ao lado quando se fala de vestidos e modelitos, é mais do que inevitável, e nós não os deixamos passar. E este ano podemos encontrar nesta categoria caras que nunca na vida pensámos ver por aqui. Até eu fiquei surpreendida. Vamos a isso?

Não sei muito bem quem é o criador deste modelito e antes que comecem com coisas, deixem-me dizer-vos que este é daqueles assim-assim e que eu até gostei do efeito atrás, mas não considero que seja o mais indicado para o corpo da actriz Mindy Kaling que muito sinceramente não me parece estar confortável. A meu ver está tudo muito apertado por aqueles lados.

Aqui temos um perfeito caso de “onde estávamos nós com a cabeça” e “foi a primeira coisa que encontrei” e sei lá mais o quê. Não gosto da cor, não gosto do modelo, do corte, da pose, do cabelo, da maquilhagem. Basicamente não consigo gostar de nada. Muito ao lado Andra Doy.

Ora bem, a minha cara Sophie Turner é daqueles casos em que a simplicidade é negativa e nada chama atenção para nada. O vestido poderia ser bonito se fosse mais destacado, digo eu que não percebo nada disto. À primeira vista quase que o vestido se funde com a sua pele. Não gosto, e não é por ser um mau vestido, mas sim pela falta de criatividade para tornar este um look memorável.

Rooney Mara em Givenchy. Há aqui qualquer coisa que simplesmente me diz que não. Era preciso aquele cabelinho tão repuxado e aquele corte ali no meio do vestido?

A Heidi Klum deixou de achar piada a ser o Mulherão destas coisas e começou a inspirar-se naquilo que faz melhor, que são sem dúvida as festas de Halloween. Este Marchesa poderia ser até um vestido que não se assemelhasse a uma princesa Disney se perdesse aquela manga e as flores ao estilo baile de finalistas.

A Resse Witherspoon tem sido das minhas preferidas nestas coisas, mas sinceramente este Óscar de La Renta não é o modelito que melhor lhe assenta. Parece que acrescentaram 15 cm de ancas à criatura e aquele folho na zona do peito não me convence.

Esta foi a minha grande admiração deste ano. Desde quando é que poderíamos imaginar a Jennifer Lawrence em Dior numa lista destas? Nunca na vida! Mas a verdade é que apesar de não desgostar do vestido em si (talvez em partes separadas), achei tudo o resto muito, muito simples.  Especialmente a parte de cima onde poderiam ter sido feito alguns ajustes.

E a outra que me desiludiu foi a Amy Poeher que não se saiu nada bem com este vestido. E eu nem sei se não lhe acho piada nenhuma pelo modelo em si, pela maneira como lhe fica ou se por aqueles desenhos de inspiração oriental que parece que foram ali colados ao calhas sem sentido ou orientação nenhuma.

E é isto. Surpreendidas?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.