Life

O Natal, os animais e as associações.

16 Dezembro, 2019

Li recentemente, que algumas associações de animais vão pôr em pausa a adopção de cães e gatos nesta época Natalícia, evitando assim, de acordo com os mesmos, que os animais sejam devolvidos logo após o Natal, porque afinal a “prenda do meu filho faz muito barulho” ou porque “a prenda da minha mãe não pára quieta”. A ideia será que os mesmos não sejam tratados como presentes apenas e descartados quando passa a euforia inicial e jogados fora tal e qual papel de embrulho.

Confesso que percebo o porquê desta atitude, até porque sei bem o quanto nós conseguimos ser cruéis, e simplesmente desumanos no que toca a animais de estimação, ou a animais no geral. Nós matamos espécies em extinção, nós abandonamos, nós maltratamos ou simplesmente não cuidamos. Vergonha tenho eu de dizer que faço parte da raça humana que ainda participa nestes actos. Por isso percebo que de alguma maneira, o sentimento de protecção das ditas associações para com os seus protegidos.

Eu, que tomo conta de 4 cães e toda uma infinidade de gatos, faria o mesmo pelos meus se a situação fosse parecida. Não vou de maneira nenhuma dizer que eles estão errados, porque conhecendo a minha espécie (humana entenda-se, e á excepção das almas, não tão raras mas também em número insuficiente, que realmente tratam os animais como iguais)

Mas depois, temos o outro lado da moeda.

E podem corrigir-me se estiver errada, mas existe sim um outro lado da moeda. Uma certa consequência na decisão de colocar em pausa os processos de adopção. E vamos supor um cenário em que a família em questão até é daquelas que mantém para o futuro, para toda a vida do animal. Vamos supor que esta família quer oferecer um cão aos filhos pelo Natal, e lhe vão dar todo o amor e carinho que o bichinho merece, não apenas por capricho ou porque parece bem adoptar um animal sem estar á espera do que aí vem. Esta família, não encontrando associações para adoptar, vai talvez acabar por comprar. Estão a ver onde quero chegar com isto?

Certo é, que a minha história é repleta de suposições que poderiam nunca acontecer. É verdade sim senhora. E também é certo que se for uma família realmente dedicada e preocupada com os animais, até poderá esperar para que as associações voltem a estar disponíveis para a adopção. Eu quero acreditar que assim o é. Quero acreditar que a consequência desta decisão, não tem o lado negativo que eu penso que pode vir a ter. E se na realidade tiver, quero também acreditar é tudo para o bem dos animais e que as adopções vêm a seguir.

Vamos pensar que a felicidade de uma família não depende apenas de um animal novo no Natal, mas sim noutro dia qualquer.

E já agora, ás pessoas do “deixei de ter espaço”, do “comecei a fazer alergia”, do “estragou o sofá”, tenham paciência e ganhem vergonha na cara. Isto não é uma loja, onde experimentam e voltam a devolver quando não gostam. Não me imagino algum dia a abandonar os meus animais ao espaço de onde vieram, seja porque razão for, e não percebo como é que o ser humano é capaz de tal crueldade. Abandono é abandono, seja pelo motivo que for, seja onde for.

A quem vai adoptar, faça o favor de aguardar um pouquinho mais para dar amor e carinho a um animal que precisa. Vão ver que compensa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.