Outros

O Medo

6 Julho, 2014
“Quem dorme à noite comigo, quem dorme à noite comigo
É meu segredo, é meu segredo
Mas se insistirem lhes digo, mas se insistirem lhes digo
O medo mora comigo, o medo mora comigo
Mas só o medo, mas só o medo
E cedo porque me embala, e cedo porque me embala
Num vaivém de solidão
E é com silêncio que fala, e é com silêncio que fala
Com voz de móvel que estala
E nos perturba a razão, e nos perturba a razão
Gritar: quem pode salvar-me?
Gritar quem pode salvar-me?
Do que está dentro de mim
Gostava até de matar-me
Gostava até…
Mas eu sei que ele há-de esperar-me
Ao pé da ponte do fim
Ao pé da ponte
Do fim”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.