Life

Momentos Ansiosos #2

7 Janeiro, 2019

Estamos a 7 dias desde a chegada deste novo ano, e tenho de confessar que até agora não está a ser propriamente fácil. A minha cabeça tem andando não sei muito bem como, a pensar em tudo e mais alguma coisa relacionado com a vida com o futuro, com a frustração de não chegar a lado nenhum, de não ser bem aquilo que queria ou que pretendia… O trabalho também não está a ajudar, pois o mesmo está a rebentar comigo desde dia 26 de Dezembro, altura que em começaram os saltos e eu com uma loja inteira para marcar, limpar, atender e outras mil tarefas que vão ficando acumuladas. Uma cabeça a mil, um corpo cansado e talvez mal alimentado (culpa minha) e todo um nível de stress com tarefas, missões, objectivos e afins deitaram-me abaixo, e nestes últimos 3 dias a minha cabeça não aguentou e levou-me aos meus ataques de ansiedade com quebras de tensão incluídas. 

Ontem, no meio do supermercado, comecei a sentir os sintomas e aparentemente até estava bem, ou minimamente normal, depois de pagar a despesa e chegar ao carro, desatei num pranto, com as lágrimas a caírem cara abaixo com a sensação desesperada de que o Mundo acabava ali, a soluçar e a tapar a cara com as mãos. Basicamente são estes os episódios, normalmente acompanhados por dores de cabeça horríveis e dificuldade de visão de um dos olhos. Nada que não vos tenha contado já por aqui, e nada que maior parte dos que me acompanham não tenha presenciado já. Para mim também já é normal, apesar de estar muito feliz de ter a situação controlada quase há um ano. 

Este final de semana rebentou comigo, e com tudo aquilo que sinto cá dentro, estranho seria não ter tido uma destas minhas reacções, com tanta coisa acumulada. Começa então aqui mais uma luta, uma batalha para estar bem física e psicologicamente. Começar novamente uma rotina que me liberte das más energias e dos maus pensamentos, principalmente aqueles contra mim própria. Tomar conta de mim, e não apenas dos outros. 

Confesso que quando mencionei no post de final de 2018, que queria continuar a evoluir, queria continuar a batalhar, a minha ideia não era voltar a este ritmo de tentar evitar crises de ansiedade. Mas se assim tiver de ser, que assim seja. O importante mesmo é tentar a todo custo respirar e ter calma, para conseguir alguma clareza e conforto, e já agora paz de alma. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.