Outros

Histórias de amor

13 Abril, 2015

Nem sempre é tudo tão simples com a versão de “amor e uma cabana”. Por vezes dão connosco em doidas e por outras vezes fazem de nós as pessoas mais felizes de sempre, mesmo que o Mundo esteja em modo louco á nossa volta. Falo de histórias de amor. Todos temos a nossa e nem sempre acaba ou começa da forma que desejamos, mas isso não a torna menos nossa e com menos direito de pertencer aos livros de contos de fadas. Cada história é única, com a sua marca, com as suas memórias, com os seus lugares e as suas músicas a acompanhar que nos vão recordar sempre daqueles momentos seja em que altura for, os melhores e até mesmo os mais dolorosos vão sempre atravessar-nos a mente, e apenas temos de saber lidar com eles: esconder uma lágrima ou partilhar um sorriso?
O que eu mais gosto em relação a histórias de amor, é tudo o que se aprende com elas e o quando podemos crescer enquanto indivíduos. Cada batimento mais intenso do coração funciona como 1 centimetro que vamos acrescentando aos palmos da nossa inocência e da nossa alma. Porque quem manda é mesmo o coração, ainda que por muitas vezes tudo o que nós desejamos é tornar a mente, na grande mestre coordenadora de tudo. Já vi pessoas perderem tudo tal como já vi pessoas ganharem tudo com a história de amor certa e que lhes está destinada.
O problema do amor e de todas estas histórias que o envolvem, é que nada é certo e nem sempre o que parece é. Podemos amar uma pessoa, mas perder confiança nesse mesmo sentimento com medo de uma responsabilidade maior. Mas ele existe, e ele continua lá. É quase como uma batalha, e só temos mesmo é de vencer o medo, nada mais e tal como diria Bill Cosby, “Decide que o queres mais do que o temes.”. É um bom lema para se ter uma história de amor com direito a lágrimas de emoção e felicidade.
Amo histórias de amor, e depois de relembrar o filme de “O Sexo e Cidade” e toda a série por detrás do mesmo, acabei por me recordar de toda a batalha que é necessária para se conseguir alcançar toda a felicidade, e que o importante é lá chegar.
Histórias de amor são para ser vividas, não para guardar numa gaveta á espera que um dia o medo passe e a possamos voltar a viver. Não é assim que acontece, e ainda bem, até porque apesar de a vida ser bastante longa, o tempo esse, pode ser bastante curto em relação ao que se pretende fazer com a nossa felicidade. Por isso deiam assas e bastante cor á vossa história de amor, quer a tenham já vivido ou não.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.