Outros

“Guita Rega”

16 Maio, 2014

Ora falemos hoje de coisas mais alegres que estamos todos a precisar. Falemos então do dia em que a nossa querida “Guita Rega” (para os mais despassarados, estamos mesmo a falar da Rita Guerra), decidiu ir dar um concertezinho ali no meio das obras das Caldas da Rainha. Assim para nos distrair do facto de metade das estradas estarem cortadas para todo o lado. Foi uma coisa á grande, deixem-me dizer-vos. Tão grande, tão grande, que quando lá cheguei só ouvi duas músicas (ou pelo menos foi o que me pareceu) e acabou. Tomara muitos, tá? Ora pois muito bem, depois do reportório de músicas lamechas (estava á espera de mais animação confesso), e do fogo de artificio, a coisa ficou por ali, e por volta das 24:30 estava tudo a dar á sola para o refugio das suas habitações. Mas o grupinho que me acompanha, e eu incluida, lá achamos que aquilo assim não tinha piada e fizemos a nossa própria “after party”. Com palhaçadas, pipocas (que sabiam a peixe assado), farturas (de tamanho semelhante a costeletas), muita parvoice á mistura e as melhores qualidades de cada uma, devo dizer que foi das melhores e mais animadas noites com amigos que tive nos ultimos anos. Sem um único stress, tirando o facto de não existiram Wc’s disponiveis para senhoras tão elegantes e cheias de classe como nós, que não nos baixamos atrás de um carro para tal serviço. (cof cof). As fotografias foram ás carradas. Só me arrependo de não ter adquirido umas daquelas bandeletes com laços que piscam como se fossemos uma abulancia. Acho que o Bucky iria dar-lhe um bom uso aqui em casa. Portanto senhora dona “Guita Rega”, muito obrigado por nem sequer lhe ter visto o rosto, e por ter criado um ponto de partida para a noite das noites sem música de fundo. Agradecido. Ah e já agora, um obrigado também á policia fofinha que não permitiu que as esplanadas dos arredores dessem música aos seus clientes. Pelo menos assim consigo ouvir os filmes que fiz com o telemovel.
Ora passemos então a ver algumas das fotos da noite (escusado será dizer que não estão todas, senão não havia base de dados que aguentasse).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.