Life

Falsidade em nós incutida.

6 Outubro, 2016

Sou uma pessoa transparente. Se não gosto de fazer algo ou de estar com alguém, a minha expressão ou a maneira como o meu corpo reage mostra exactamente aquilo que é suposto, não me deixando ser mais falsa no dia-a-dia. Poderia assumir-se que tamanha qualidade era uma benesse e que muito boa gente ficaria contentíssima de a obter, mas a realidade não se torna assim tão fácil como seria de esperar. Num Espaço e num Tempo  como o presente, não é de todo positivo ser assim tão transparente e mostrar a toda a gente aquilo que nos vai na alma. Temos sempre de optar por deixar transparecer todos os nossos sentimentos e deixa-mos que a sociedade nos exclua por si própria ou engolimos maior parte delas e entramos em conflito com todas as células do nosso corpo, deixando de funcionar como deveria de ser, ficando mesmo doentes mentalmente. Sim, mentalmente. Quem nunca passou por isto? Em que a nossa vontade de explodir sem poder é tanta que acaba por nos proibir de ser exactamente aquilo que somos. Mas é isso mesmo que a nossa sociedade nos ensina a fazer, e talvez, por isso mesmo este pequeno planeta está repleto de pessoas que se odeiam, crimes e guerras. Talvez por termos de controlar o que vai cá dentro, acabamos por deixar fugir aquilo que não deveria mesmo sair, numa tentativa de fazer o que está correcto. Considero que nenhum de nós nasce um com uma pinga de falsidade na alma, apenas nos é imposto aprender assim a ser.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.