Life

Em relação aos 23 da TVI.

21 Fevereiro, 2016

Foi ontem que se deu mais uma daquelas festanças da TVI. Daquelas que só podemos ver pela televisão porque são reservadas a quem por lá trabalha, o que faz todo o sentido. Deveria eu ter um ano, ou pouco mais, quando Portugal viu nascer este belo canal, que deva dizer-se, é da minha preferência, mas será que continua a ser o canal maravilha como foi em tempos de antiga glória onde se costumavam ver filmes recentes, programas novos e informação sempre actualizada?

A fase adulta do canal, ou seja, o canal nos dias de hoje não é assim uma maravilha comparada com outros tempos. Até porque hoje temos novelas com histórias repetidas em termos de enredo, programas mais mastigados do que as pastilhas elásticas que permanecem coladas à calçada lisboeta e intervalos tão longos que nos fazem perder a vontade de ter a televisão ligada. Hoje em dia, a TVI, a minha (em tempos) grande TVI não passa de mais um canal de televisão como tantos outros, dando vergonha aos anos de ouro em que tudo era inovador e realmente cativava o publico com cultura que valesse a pena, em vez de aumentar audiências com escândalos e programas de segunda categoria que nem sequer deveriam passar antes da meia-noite.

O horário dedicado ás noticias e à informação realmente importante continua impecável, mas em relação a tudo o resto já é esticar muito a corda da paciência de um espectador que procura algo interessante a que possa assistir durante os seus momentos de pausa no sofá, e não a um conjunto de semi-celebridades (acho que nem isso se pode chamar) que apenas querem fama “à pressão” e por isso fazem excelentes figuras de otários sem pensar nas consequências, a novelas que não representam a realidade e que insistem em retratar histórias de amor impossíveis e triângulos amorosos, e aos programas de animação que nunca percebi muito bem para que serviam (se é para falar de assuntos sérios, se é para apresentar produtos novos, se é para fazer rir quem assiste ou se tem outra finalidade qualquer).

Mas a cereja no topo do bolo passaram a ser as tardes de fim-de-semana da TVI, isso sim. Quem não estava mortinho para chegar a domingo e passar a tarde sentada no sofá em frente à lareira e ter as festinhas de todas as terrinhas de Portugal em vez de uns quantos filmes? Ah pois é, essa foi a machadada que a TVI deu a si própria. E gostava muito de saber a opinião sincera dos operários desta “fábrica” sobre trabalhar aos fins-de-semana ao frio e à chuva sem poder quase parar em casa. Acredito que muitos não devem ter ficado imensamente felizes como pareciam na passadeira vermelha da festa de ontem.

Mas vá, os meus parabéns a este grande canal que tem vindo a perder muitas, mas muitas qualidades.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.