Life

Como um burro a olhar para um palácio.

21 Janeiro, 2020

10 anos é muito tempo. Muito tempo a fazer a mesma coisa e por sua vez muito tempo sem fazer alguma coisa.

Durante 3 anos o meu estudo passou a ser dedicado à informática. Durante os 2 anos a seguir passou pela programação. HTML, JAVA, VISUAL BASIC, C++, you name it. E se comecei a estudar tudo isto para facilitar a chegada ao 12º ano de uma maneira mais simplificada (com programação?), os temas de estudos acabaram por entranhar no meu sistema e até lhe ganhei o gosto. Porque tinha lógica. Tudo aquilo tinha lógica, para começar e para acabar. Simples. Pelo menos na minha cabeça.

Tal como dizia eu, passaram-se 10 anos em que não me dediquei a nada disto e o computador lá de casa passou a servir apenas para coisas básicas, entenda-se redes sociais, visualizar filmes sem ter de fazer downloads e uma ou outra edição de imagem.

Hoje, na tentativa de aumentar a minha pro-actividade, e produtividade no local de trabalho, lembrei-me de criar uma tabela de introdução e armazenamento de dados para organização de pessoas. Na minha cabeça gerou-se o filme perfeito, onde eu dava uma vistinha de olhos a uns quantos “tutoriais” de SQL e VISUAL BASIC e fazia-se luz novamente.

Pois é meus caros, neste caso “andar de bicicleta” esquecesse mesmo. Dei por mim a olhar para o ecrã do computador a pensar se eu alguma vez na vida tinha visto aquilo, porque não me conseguia lembrar de nada e nem sequer me fazia sentido. Nada. Niente.

Tal e qual um burro a olhar para um palácio, era o meu aspecto à secretária em frente ao computador.

Comecei a ficar frustrada, quando nem os programas conseguia instalar no computador.

Fechei tudo, programas, páginas de Internet com códigos e criei uma folha de Excel. O básico dos mais básicos.

Onde raio é que eu deixei o meu conhecimento sobre estas coisas e porque raio é que programação não é uma bicicleta para eu nunca mais me esquecer dela??

Fiquei a sentir-me ligeiramente inútil e com vontade de voltar a aprender a e dedicar-me à programação ou na realidade à informática e geral. Sinto que nesse aspecto a minha evolução ficou estagnada que nem linha amarela do metro de Lisboa nos dias em que tenho mais pressa para chegar a casa.

Uma miséria é só o que vos digo. Anda uma pessoa a dedicar 5 anos desta vida a um tema e depois nem é capaz de criar uma simples linha de código.

Oh minha mãe, andaste tu a criar uma filha para isto. Para olhar para os palácios desta vida e não saber o que fazer com eles.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.