Life

“Artista que é Artista não pede”

6 Dezembro, 2016

Resultado de imagem para artistas de rua

“Artista que é Artista não pede”. Foram exactamente estas as palavras de um certo alguém, que não tive o prazer de ouvir enquanto caminhava pelas ruas do Chiado. Como sabem, esta zona de Lisboa é conhecida não só pelo seu extenso comercio de rua e paisagens características da cidade de Lisboa, mas também pelos artistas de rua que nela se apresentam, mostrando aos bons dos Portugueses e a tudo o que seja turista, as suas maiores qualidades. Eram boas qualidades, desde a música, fotografia ou representação, e sim tenho o maior prazer de chamar de Artistas todas aquelas pessoas que tal como muitos outros estavam ali para mostrar o seu talento.

Em frente aos Armazéns do Chiado, estava um jovem malabarista, com o melhor dos aspectos e a maior das simpatias a mostrar, tal como tantos outros, o seu método de entreter as pessoas, que neste caso passava pelo manusear de vários objectos enquanto os atira ao ar, e quando passo por ele, acabo por ouvir uma mono-discussão, em que uma criatura do sexo masculino que não deve concordar com o que quer que seja feito nas ruas Portuguesas extremamente bem vestido mas irritantemente mal educado diz ao rapaz que não lhe oferece uma moeda porque Artista que é Artista não pede. Não sendo isto já ofensivo que chegue para quem nem pediu nada, ainda o disse com a voz bem alto fazendo toda a gente olhar para si como se tivesse toda a razão do Mundo em dizer aquilo. Mantendo a sua humilde (que me pareceu realmente ter) o coitado do jovem agradeceu e ofereceu os bons dias para que o dito cavalheiro bem vestido continuasse o seu caminho da melhor maneira. Não me meti, não era comigo, mas fiquei tão revoltada com a situação, que achei que tinha de a partilhar com o máximo de pessoas possíveis, para que casos como este não se repitam e para que talvez o respeito por estes jovens que apenas mostram aquilo de que são capazes, acabe por se tornar igual ao respeito que temos por um artista de renome.

Se pensarmos bem, se Artista que é Artista não pede, porque razão andamos nós a pagar para ver o concerto num grande pavilhão? Porque razão pagamos bilhetes de cinema? Porque razão pagamos nós o bilhete do teatro? Não é tudo com o objectivo de ver Artistas? Somos nós que fazemos os Artistas. Somos nós que decidimos se realmente gostamos do que eles nos têm para dar ou não. Somos nós que lhes trazemos a fama, o sucesso e acima de tudo, o dinheiro. Por isso, quando ouvir mais uma vez alguém dizer que Artista que é Artista não pede, posso sempre relembrar que a única diferença é mesmo o palco onde actuam, e nada mais do que isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.