Beauty

A corrida

22 Janeiro, 2016

Studio_20160122_123111

É uma coisa natural, que faz parte da rotina de muito boa gente que procura um estilo devida mais saudável. Fazer uma pequena corrida alguns dias por semana só trás vantagens ao nosso corpo e principalmente à nossa mente. É essa a minha razão. Lógico que os efeitos corporais são sempre agradáveis, mas sendo eu uma pessoa que nunca precisou de grandes exercícios para estar com um peso considerado normal, não me faz grande diferença.

Ontem à noite, decidida a acordar cedo, acabei por me deitar por volta das 23h, virando costas à típica rotina de me deitar só a partir da meia-noite, mas após uma semana de pura preguiça e descanso, a minha cabeça que só sabe fazer dramas começou a fazer mais filmes deprimentes que não lembram nem ao menino Jesus, de como um problema tão pequeno passamos para algo tão dramático. Eu sabia o que era, e o porquê da minha cabeça se estar a transformar num estúdio de produção de filmes de terror, e sabia também que hoje, ou começava a tomar os comprimidos receitados pelo médico na minha ultima visita ao hospital, para controlar a ansiedade, ou me levantada razoavelmente cedo e fazia algo por mim. E assim foi. Nada de muito exagerado, porque o corpo também não aguentava depois de tanto tempo agarrado ao sofá, mas apenas uma corrida de meia hora com a música nos ouvidos, a esquecer o Mundo lá fora e a libertar energias negativas. Ainda acabei por ver umas paisagens engraçadas, e conhecer recantos da Santa Terrinha que não fazia ideia que existiam.

Só vantagens positivas, tirando as pessoas por quem se passa que tendem a mandar as típicas bocas como “estás tão magra, andas a correr para quê?” ou “isso deve ser para queimar a gordura que não tens”. Minha cara população, a minha mãe sofria de dores musculares até começar a praticar zumba. Agora apesar da idade, é um mulher muito mais activa e dinâmica que não medo de enfrentar qualquer que seja o desafio. Não querendo ir atrás dela, porque como já referi, sou muito parecida a um macaco a ter um ataque epiléptico quando se trata de dançar zumba no meio de toda aquela gente, mas posso fazer algo produtivo à minha maneira e ao meu passo. E daí as corridas.

Não, não quero perder peso. Não, não preciso de ganhar músculo. Não, não faço isto porque é moda. Faço isto para me sentir bem, física e psicologicamente. E não, não me vou render aos ginásios. Prefiro correr durante meia hora à chuva ou ao sol e apreciar as paisagens e as pessoas simpáticas que passam do que estar fechada entre 4 paredes durante não sei quantas horas. Desculpem, mas sou mais outdoor.

Deviam experimentar de vez em quando.  🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.