Outros

2 anos

28 Setembro, 2019

Carta ao Pai.

2 anos sem ti. 2 anos sem te poder dar uma braço. 2 anos sem o meu beijinho da manhã. 2 anos de saudade. 2 anos de lágrimas. 2 anos. 

Já se passaram 2 anos desde que não estás connosco, parece que ainda foi ontem que recebi aquela chamada telefónica e fiz um caminho de 30 minutos em apenas 10 para tentar chegar até ti e perceber tudo o resto. Faz hoje 2 anos que te liguei pela ultima vez a reclamar de mais alguma coisa e no fim eis que tu me voltas a dizer que “vai ficar tudo bem”. Não ficou. Mas vou levar as tuas palavras comigo até à eternidade. 

Há tantas coisas que te quero contar, há tantas coisas que te quero mostrar. Ainda continuo a depender de ti para resolver este Mundo de situações, e ainda continuo a precisar de ti para abraços lavados em choros porque o dia não correu bem. 

Juntei todos os frasquinhos que consegui do teu perfume, para me poder relembrar dos teus Domingos quando quiser e quando a saudade aperta ainda mais nos tais dias negativos. A mãe tem ataques quando vê a quantidade de embalagens de Tierry Muggler Leather Limited Edition que tento esconder cá por casa em tudo o que é canto.

Teu, guardei tudo o que pude e o que fazia sentido, mas mais importante guardei o teu sorriso, as tuas palavras e o teu jeito por vezes trapalhão comigo, aqui bem vivo na memória e no coração. Sempre comigo. 

E sabias que falo de ti todos os dias? Existe sempre uma história tua que consigo trazer para uma conversa a acontecer no momento, uma piada que tu dizias ou até os conselhos que davas. Estes últimos, têm estado na moda no meu grupo social diário e quero acreditar que fazes a diferença. Quanto mais não seja a mim, que consigo passar os teus testemunhos e sentir-me bem com isso, talvez ajudando alguém. 

E com isto já lá vão 2 anos Pai. 2 anos sem te ouvir ralhar comigo, 2 anos sem te ver chateado, 2 anos sem te ouvir queixar. Sim, até disto tudo eu tenho saudades, acredites ou não. 

Sinto a tua falta em toda a evolução destes 2 anos, sinto a tua falta quando chego a casa com novidades, quando pego no telefone para contar uma boa noticia, ou quando chego às 11 da noite exausta e nem sequer consigo dizer mais nada que não possa ser transmitido por um abraço a ti. 

2 anos. 2 anos de luta. 2 anos a relembrar. 2 anos a querer manter-te vivo comigo. Na minha memória e no meu coração. 

2 anos sem ti. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.