Ora, já não era sem tempo!

A Vogue ainda me vai dando noticias que me vão surpreendendo de vez em quando. Parece que a ministra Francesa da Saúde (Marisol Touraine) dicidiu tomar medidas extremas em relação á modelos com um indice de massa corporal abaixo dos valores estabelecidos pelas autoridades médicas, ou seja, aquelas modelos em que só se vê é ossos a desfilar nas passareles e quase nem se repara no que as mesmas têm vestido de tão chocados que ficamos.
Segundo consegui apurar, a contração destas modelos, seja para publicidades, desfiles ou campanhas, vai passar a ser realmente proibida, podendo, quem as contratar, ser punido com um ano de prisão ou multas até aos 10.000€.
Sinceramente, acho que já estava mais do que na altura de alguém fazer algo em relação a este assunto, e espero mesmo que os outros países sigam o exemplo e tornam as suas coleções um pouco mais saudáveis, por assim dizer.
É verdade que maior parte das mulheres, e homens também, ligam muito á estetica corporal, tanto como á moda em geral, portanto é mais do que natural que queiram vestir o vestido X da marca Y, e que se queiram parecer com a modelo do desfile W da marca Y, acabando por seguir medidas extremas para conseguir um corpo que nem as modelos conseguem de forma saudável e normal. Acabamos por ter ainda mais casos de anoréxia e bulimia, que terminam muitas vezes em fatalidades.  E desengane-se quem acha que as magricelas que vemos a desfilar por aí, conseguem tudo aquilo sem esforço nenhum, até porque metade delas são encorajadas a passar fome e a não ter alimentações correctas para que o corpo se mantenha bem.
Fico mesmo muito feliz por esta iniciativa. Pode ser que muita gente acabe por tomar alguma consiencia de que realmente o corpo humano não é só para exposição, e que a têndencia de todas as estações é ser apenas saudável.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.