O S8 já saiu e eu tenho algo a dizer.

Image may contain: phone and text

Preparem-se que este post vai ser dos longos.

Lembro-me como se fosse hoje, do dia em que me rendi à Samsung. Tudo começou com o Galaxy S4, que estava exposto numa loja da Staples chamando todas as atenções para si próprio. Branquinho e com uma promoção de menos 100€. Trouxe-o para casa comigo nesse dia sem pestanejar. Era capaz de ser o segundo telemóvel (dos mil e quinhentos que tive) que comprava por conta própria. Para mim era o melhor smartphone de sempre, com uma rapidez de funcionamento bem acima do que já estava habituada, com um brilho de ecrã fantástico e claro com uma câmara de já-não-sei-quantos MP. Era um mimo, e eu estimava-o como se não pudesse vir a ter mais nenhum.

Entretanto, surgiu o S5 que só me despertou o interesse pela parte traseira acolchoada, e mais tarde o S6 e o S6 EDGE que chama a atenção pelos lógicos motivos, sendo os mesmos, o ecrã curvo, as cores e a tecnologia. Andava eu às voltinha numa loja da RP, a fazer tempo antes de entrar na minha, e eis que os fofinhos que lá trabalham e que adoram vender-me coisinhas, vêm ter comigo e me convencem a trocar o meu S4 por um S6, tendo um desconto de 150€ na compra do mesmo oferecendo o meu como retoma. Acabei por ceder, e nesse dia trouxe para casa um S6 normal douradinho, vindo mais tarde a arrepender-me por não ter escolhido um S6 EDGE. Com o passar do tempo, e apesar de todo o meu cuidado com o raio do aparelho (que nas minhas mãos era tratado como um Deus), o mesmo começou a descolar o ecrã e como eu costumava dizer: a tecla de andar para trás estava possuída pois funcionava sozinha nos momentos mais inconvenientes (imaginem estarem no browser do vosso telefone a preencher uma folha de inscrição com 100 itens e depois o vosso aparelho anda uma ou duas páginas para trás, eliminando tudo o que já fizeram? Frustrante não é?). Enviei então o meu rico smartphone para a garantia. Passado um mês, mandaram-me um vale para comprar outro aparelho porque pelos vistos o meu não tinha solução de arranjo, e foi assim que acabei com o meu S7 EDGE nas mãos até hoje.

Ora bem, no dia 29 deste mês, a Samsung lembrou-se de anunciar mais uma novidade na categoria dos GALAXY S, sendo desta vez o S8 e o S8+.

Image may contain: phone

Ambos os modelos têm um ecrã curvo que vai mesmo até às extremidades do smartphone e que preenche uma maior percentagem da tela principal, deixando de ter o logótipo da marca na parte superior e o botão inicial. Basicamente, podemos ver as melhores caracteristicas do S7 EDGE, com muito, mas muito mais tecnologia, incluindo algo parecido com a SIRI da Apple (cujo nome ainda não consegui decifrar, mas acho que se trata de PIGSBY). Sem dúvida que este é capaz de ser o smartphone mais bonito do mercado devido ao seu design que continua a ser exclusivo da marca, mas confesso que apesar da minha paixão por ele, existem alguns aspectos que não deixam de me preocupar ou desagradar. Falemos um pouquinho deles.

Comecemos pela qualidade da câmara que se mantém a mesma que o S7 EDGE (12 MP). Não é que me queixe dela, mas já que estamos a inovar, não poderíamos investir um pouco mais neste aspecto? Cada vez mais, as fotos são importantes no nosso dia-a-dia e por isso as câmaras de maior resolução são muito mais importantes.

De seguida temos o botão inicial, ou neste caso, a falta dele. Eu sei que o mesmo continua lá embutido no ecrã, mas isso não deixa de me preocupar. Acho que sou daquelas que têm de ter um botão de emergência quando tudo o resto decidir bloquear ou falhar. Considero que este seria um ponto negativo, ainda que perceba perfeitamente o porquê de o terem escondido, criando assim um ecrã muito maior.

Temos agora uma questão de cores: PORQUE RAIO SÓ EXISTEM AQUELAS 3 CORES?? Aqui é que a coisa me incomoda muito, porque me faz falta um aparelho dourado e este novo S8 só existe nas cores preto, cinza e orquídea cinza, que basicamente se resume a lavanda acinzentado. A minha escolha aqui seria talvez o cinza ou o orquídea, porque estou habituada a ter smarpthones com cores claras.O preto estaria fora de questão. mas volto a repetir: PORQUE RAIO SÓ EXISTEM AQUELAS 3 CORES?? Sim, sou uma picuinhas, processem-me agora.

E por fim: alguém me explica porque é que a Samsung se lembrou de oferecer o primeiro S8 em Portugal à pessoa que provavelmente tem mais dinheiro para o comprar sozinha? Cristina Ferreira, nada contra ti, mas acho que todos pensámos o mesmo quando vimos o teu vídeo a abrir a caixa da Samsung.

Não me vou por aqui a falar de todas as qualidades do aparelho, até porque este post já vai longo e daqui a bocado vocês perdem a paciência. Mas como não quero que vos falte nada, deixo-vos um vídeo com as dita para que possam apreciar ou não, esta novidade da Samsung.

E no fim disto tudo perguntam vocês: Trocava? Talvez sim, ainda que tivesse de me habituar à falta do meu querido botão inicial e às cores exteriores mais do que mortas. Mas sim, se a oportunidade surgisse, talvez trocasse. E agora pergunto eu: Trocavam?

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *