Outros

É tudo uma questão…de preguiça.

16 Abril, 2015

Conhecem aquelas pessoas que por mais tarde que se deitem nas suas caminhas confortáveis, conseguem sempre acordar cedo e ainda por cima ter um ar do mais relaxado e descontraido do Mundo como se tivessem estado a dormir durante 8 ou 9 horas, e que nos dá uma raiva descomunal por não conseguirmos fazer o mesmo?
Confesso que já fui uma dessas pessoas, que acordava com o ar mais fantástico de sempre e logo com paciencia para levar o canito á rua, mal ainda eram 7 da manhã. Pois, agora sou uma versão mais ao contrário. Normalmente o que me vai pela cabeça é algo parecido com “amanhã vou levantar-me mais cedo” e o que acaba por acontecer é que acordo quase aos ultimos minutos que tenho para me despachar seja para ir para onde for. É quase como se aquela pessoa que antes fui, que acordava cedissimo, e fazia tudo nas calmas da manhã enquanto ainda despertava o cérebro em modo slow e tomava o pequeno-almoço a ver fosse lá o que fosse que estivesse a dar na televisão a estas belas horas da manhã,  tivesse desaparecido da face da terra e tivesse dado lugar a esta pessoa que agora sou eu, que acorda a caixa de massa cinzenta quase com um murro de tão repentinamente me levantar da cama e corre durante 15 minutos para levar o cão á rua, alimentar o resto da bicharada, tomar banho, fazer a cama, tomar o pequeno-almoço e meter-me na alheta direitinha para uma viagem de 2o minutos até ao trabalho. Normalmente a parte do despertar a 100% só acontece quando já estou no carro e meto a música o mais alto que consigo.
Se alguém me perguntar posso sempre responsabilizar a idade, o cansaço  ou até o trabalho diário, mas cá entre nós que nínguém nos ouve, começo a achar que a culpa é mesmo da preguiça que se vai apoderando de mim e não me deixa ser nada mais, nada menos do que preguiçosa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.