Definitivamente, não!

Já cheguei á conclusão que não sou pessoa de vizinhos. Esta coisa de ter pessoas completamente estranhas a morarem ao meu lado, a fazerem barulho como se fosse tudo deles, e a pensar que podem fazer o que lhes dá na real gana, não funciona muito comigo. É certo que vá eu morar para onde for, os vizinhos vão ter de ser uma constante, a não ser que vá morar para o meio do mato (e mesmo assim não sei), e eu até já estava habituada a ter aqui os meus poucos vizinhos simples, sossegados e só se metem nas suas vidas e SÓ nas suas vidas, sem destabilizar a paz dos outros. Quando começaram a fazer estas moradias/condominio aqui mesmo em frente de mim, nunca me passou pela cabeça que iria ter vizinhos, o que, sejamos lógicos, seria a coisa mais obvia de se pensar logo em primeiro lugar. Depois as obras pararam por falta de fundos e as casas que estavam acabadas acabaram por se ir deteriorando, o que se resumia á continuidade da rua pacifica em que vivo.
Pois, tenho vizinhos novos. –‘ Barulhentos, mal-encarados (daquelas caras que temos medo quando andamos sozinhos na rua) e por aí fora. Não sei muito bem se me vou habituar a estas pessoas completamente estranhas ao meu quotidiano a cirandar por aqui. Não me parece. Acho que não estou habituada a pessoas deste género logo aqui ao lado e algo me diz que não me vou habituar. Sou muito territorial e quando alguêm disturba aqui a coisa, que para quem não sabe é uma rua constituida quase só pela mesma familia (ainda o Pai era pequeno e já era assim), eu não tenho reações muito positivas, e paço a citar que consigo ser uma vizinha do pior, quando embirro. Mesmo daquelas que fazem a vida negra aos outros.
Não sei que vos diga, não sou uma pessoa de vizinhos e pronto.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.